Quem sou eu

Minha foto
Sou quem acredita que opiniões maduras, sensatas e imparciais são escutadas, respeitadas, mas... não significa que estas serão acatadas.

domingo, 11 de dezembro de 2011

A polêmica na divisão de tarefas domésticas entre casais


As mulheres conquistaram lugar no mercado de trabalho, chefiam famílias e ocupam espaços que eram totalmente masculinos. Ou seja, nos últimos anos muita coisa mudou, porém no meio de tanta novidade, uma coisa não está tão diferente assim. É que hoje ainda é muito comum que as tarefas domésticas continuem sendo um assunto totalmente feminino.
Porém uma pesquisa mostrou que a mulher sobrecarregada com as várias tarefas de casa, filhos e trabalho, sente falta de ajuda dos companheiros nas atividades domésticas. Estando sobrecarregadas, as mulheres ficam sem tempo para outras coisas consideradas extremamente importantes por elas. De acordo com os responsáveis pela pesquisa desenvolvida pela empresa Triad Consulting, o excesso de tarefas faz com que as mulheres tenham um senso de urgência muito elevado, isto é, elas passam a resolver aquilo que é prioritário e o que é importante para os outros, assim, esquecem até de si mesmas. O que não seria nenhum problema no ponto de vista masculino, já que ainda existem muitos que acham que essas tarefas domésticas são de responsabilidade exclusivamente feminina e que, se as executarem, perderão o seu estatuto de "macho". É lamentável não haver compreensão por parte desses homens com pensamento retrógrado que só prejudica a relação conjugal.
Para as mulheres que participaram do levantamento, o fato de não haver o compartilhamento de tarefas domésticas tem a ver com o fato dos homens acabarem se acomodando, uma vez que sabem que a mulher não deixará de realizar o que precisa ser feito dentro de casa. Isso se deve a referências do passado que não deveriam mais ser lembradas hoje em dia. Afinal, antigamente a maioria das mulheres só trabalhava em casa, hoje elas adquiriram diversas outras obrigações. Graças a DEUS! Ninguém merece passar o resto da vida atrofiando a mente, correndo atrás de crianças, esquentando a barriga no fogão e esfriando a mesma num tanque cheio de roupas. Ops! Mas tenho todo o respeito a todas aquelas que fazem tudo isso com aquele imenso sorriso de mulher satisfeita com a vida 100% doméstica que leva.
Bem, a conclusão dos responsáveis pelo estudo é que o mundo mudou e isso precisa ser levado em conta pelos maridos acomodados, já que a divisão justa das tarefas do lar tem como resultado direto um casamento mais, digamos, pautado no companheirismo.
Uma coisa deve ficar bem clara: dividir o mesmo teto significa dividir também a pilha de louça e roupas para lavar (e passar). Significa consequentemente colaborar com a organização e higienização do ambiente doméstico.  
E se a trabalhosa compra do mês e os copos fora do lugar andam disparando discussões , "então está na hora de distribuir as tarefas de maneira justa", avalia a mediadora de conflitos Magdalena Ramos. A recomendação é que cada um escolha as responsabilidades de acordo com suas habilidades e preferências, mesmo que tenham feito tudo diferente por vários anos. “As mulheres tendem a pegar mais coisas para fazer, porém com o tempo começam a se ressentir e reclamar”, alerta. Segundo a terapeuta Lidia Aratangy, não deve existir o conceito de “ajudar em casa”, já que a responsabilidade é igual para os dois. A hora da faxina – ou mesmo a orientação de uma faxineira – deve servir como um exercício de companheirismo, e não virar um cabo de guerra, onde só existe um vencedor e, logicamente, um perdedor (o que ficará sobrecarregado de serviços do lar). É muito fácil desejar uma casa limpinha e cheirosinha, uma roupa bem lavada e bem passada, comidinha saborosa e à disposição e não mover um músculo qualquer para que esse desejo se realize. Nesses casos, é melhor optar pela compra de uma bicicleta. Pode ter certeza!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário